Estamos na era do marketing digital no qual o conteúdo de qualidade é rei e precisa ser disseminado de forma correta nos seus milhares de meios de comunicação que existem hoje. Um dos maiores erros vistos no dia a dia de empresas e pessoas que querem divulgar seus serviços por email, é não saber como fazer. E o pior, acabam fazendo de forma errada e prejudicial.

Recebo diariamente vários SPAMs, emails marketing e newsletter. Mas, tudo isso é a mesma coisa, não? O erro está justamente aqui. Muitas empresas e pessoas que não se comunicam bem, ou pelo menos, não sabem usar as ferramentas disponíveis para fazer sua propaganda via email.

Para entender melhor, vamos, primeiro, citar as principais diferenças entre cada um dos métodos:

SPAM: Sabe aqueles emails que você recebe que não tem nenhuma relação com seus interesses e que você jamais se encaixaria no público alvo daquele email? Pois é, isso é SPAM. Muitas empresas ainda adotam métodos antigos, como, por exemplo, comprar uma lista de email para disparar suas propagandas e anúncios. Esse método, além de ser extremamente prejudicial para sua marca, gera pouco resultado. Fazendo SPAM seu domínio corre o sério risco de cair em alguma blacklist e ter seu domínio ou nome prejudicado quanto à sua reputação. Ou seja, a medida que você dispara emails em massa sem o menor controle, os servidores de emails analisam quantas pessoas abrem aquela mensagem e consomem seu conteúdo e, baseado nisso, consegue saber a qualidade daquela mensagem.

Mas você pode perguntar: “Ei, eu tenho minha própria lista de emails e envio minhas promoções para eles através do meu próprio Gmail/Yahoo/Etc. Isso também é SPAM?” Bom, isso depende do tamanho da sua lista, do conteúdo que está enviando e de como está colocando o email de cada destinatário. Por exemplo: se você coloca 100 emails (todos em cópia) e não tem autorização dessas pessoas para disparar propagandas, sim, você está fazendo SPAM.

Veja um exemplo clássico de SPAM que recebo constantemente.

spam

Nesse caso, nem imagino como meu email foi cair nessa lista, mas o fato é que recebi um conteúdo que não tem relação com meus interesses e que a mensagem foi enviada em massa. Nunca faça isso!

Newsletter: As newsletters vão na contramão do SPAM. Em primeiro lugar, você só receberá uma newsletter se assinar uma. Sabe esse popup que provavelmente abriu pra você enquanto lia esse artigo? Pois bem, caso você queira receber as próximas novidades, você coloca seu email e receberá, de forma periódica, essas novidades. Mas jamais enviaremos um email sem sua autorização. Newsletter = email periódico + sua autorização. Além disso, em toda newsletter você encontra sempre um link de “não quero receber mais esse tipo de email”.

Por fim, o Email Marketing, que  uma ferramenta importante para sua estratégia na internet. Através dele é possível manter um canal de relacionamento com clientes e ainda aumentar o tráfego de visitas para o seu site. Assim como a newsletter, você receberá um email marketing se cadastrar em algum serviço ou que tenha demonstrado interesse por algo. O email marketing traz interatividade entre quem envia e quem lê, além de gerar um bom retorno. Através das ferramentas que existem hoje para dispararmos os emails em massa, é possível medir os resultados após o disparo (coisa que não se tem fazendo SPAM) como, número de cliques, quem abriu, quem foi pra sua fan page, quem recusou, etc.

A grande diferença entre o Email marketing e o SPAM para quem recebe, é que você pode parar de receber a qualquer momento. E para quem envia, consegue medir todos os resultados daquela campanha disparada.

Portanto, se quiser se comunicar de forma eficaz com seu público alvo, faça isso da forma correta para que sua marca não seja prejudicada e acabe caindo em uma blacklist. Uma agência web pode te ajudar a alcançar resultados melhores 😉