Todos nós cometemos alguns dos pecados capitais, saiba que no marketing existem também essas heresias.

Em entrevista no site Baguete, o CEO da agência AD.Brazil, Leo Cid Ferreira, explica como evitar cada pecado trabalhando com o marketing digital.

sete-pecados-marketing-online

Entrevista:

O senhor fala em sete pecados capitais do marketing online. São os mesmos sete citados pela Bíblia?

Leo Cid Ferreira: Os mesmos! Trata-se do que não cometer em marketing online: preguiça, luxúria, gula, avareza,ira, inveja, e orgulho.

Vamos, então, detalhar o que fazer para se redimir de cada um destes pecados. Primeiramente: como não pecar por preguiça?

Leo Cid Ferreira: Não seja preguiçoso com relação à criação de conteúdo!

Um dos princípios mais importantes do marketing online é a geração de conteúdo relevante, inteligente e inédito, não só para os clientes, mas também para os prospects.

Entenda que resultados o cliente quer atingir e foque o conteúdo neles. Isso é o que fará com que pessoas sejam atraídas para o negócio, seja ele qual for.

E quanto à luxúria?

Leo Cid Ferreira: Esqueça de desejar resultados a curto prazo!

Construir uma presença online de resultados leva certo tempo e requer um trabalho bem planejado. Então seja paciente.

Foque na criação de conteúdos bacanas, em vez de se tornar uma máquina mecânica de publicação.

O desejo obcecado de gerar resultados no curto prazo fere os ganhos a médio e longo prazo.

Segundo a Bíblia, a gula é pecado grave – o livro sagrado chega a afirmar que “o beberrão e o comilão caem em pobreza”. Como fica isso no caso do marketing online?

Leo Cid Ferreira: Também é grave. Meu conselho é: não seja guloso!

Traduzindo, pare de tentar “enfiar goela abaixo” os produtos e serviços de sua empresa.

O ideal é se concentrar em resolver os problemas, as demandas que surgem. O foco tem de ser ajudar seus clientes e, além deles, a comunidade ao se redor. Isso vem em primeiro lugar.

Já no caso da avareza…

Leo Cid Ferreira: Não seja ganancioso e avarento para ganhar a atenção do povo!

Interromper o cotidiano de uma pessoa com chamadas frias ou com outros tipos de ações que as pessoas não te pediram pode desanimar o cliente ou prospect.

Eu sou da opinião de que o marketing online deve ser usado para atrair pessoas como ímã. Para isso, o correto é utilizar sempre conteúdos otimizados, focados em cada campanha, e ricos.

A ira parece um sentimento presente, por vezes, em qualquer área de atuação… Como aparece e como pode ser combatido no marketing digital?

Leo Cid Ferreira: Trata-se de não responder aos que comentam o seu conteúdo com ira!

É muito fácil excluir um comentário crítico ou chato do seu blog ou site, mas lembre-se: a transparência é essencial!

Mantenha sempre o diálogo aberto, sem se irritar! Responda as críticas construtivas para que todos possam aprender com os pontos de vista diferentes.

Afinal de contas, você não é o dono da verdade.

A inveja, segundo o senhor, tem a ver com a cópia da concorrência. Detalhe isso, por favor.

Leo Cid Ferreira: Dica: não copie seus concorrentes por conta da inveja! Preste bastante atenção neles, mas não há necessidade de imitá-los.

No marketing online você deve jogar um jogo diferente dos seus concorrentes, só que no mesmo campo. Ou seja: enquanto eles usam estratégias de interrupção, você deve usar táticas de atração.

Ainda de acordo com sua teoria, o pecado do orgulho está ligado à falta de ousadia…

Leo Cid Ferreira: Sim! Deixe o seu orgulho de lado e se arrisque!

Fazer marketing online não é uma arte precisa, muito menos um “certo ou errado”!

Para dar certo, é necessário trabalho e mão de obra. O marketing online requer o compartilhamento de informação, seja em forma de texto, áudio ou vídeo.

O orgulho nos prende a querer fazer tudo de uma forma perfeita, mas nesta área não existe perfeito. O marketing online está e sempre estará em evolução.

Vamos falar um pouco da AD.Brazil. Qual o foco da agência?

Leo Cid Ferreira: Na AD Brazil atuamos em SEM, SEO, e-mail marketing, planejamento de mídia digital, links patrocinados e mensuração de resultados. Também há uma área de projetos online, com projetos de sites corporativos, institucionais, e-commerce, blogs, social media (Twitter, Orkut, Facebook), hotsites etc.

Além disso, atuamos em Business Inteligence – medimos tudo, independente do que fazemos. Nossas decisões são baseadas em métricas e usabilidade.

Hoje, nossa carteira de clientes reúne nomes como Riachuelo, SBT, Rodobens Consórcio e Hope, entre outros.

Essa entrevista foi realizada por Gláucia Civa, e postada no site Baguete.

Clique aqui para ver o link original do post.