Algumas marcas dominam a arte do marketing no Facebook; outras, nem tanto. Como em muitas plataformas sociais, existem regras que devem ser seguidas.

No Facebook, existe um protocolo para marcas e um outro para perfis pessoais. As dicas abaixo estão no meio dos dois e se aplicam para ambos os grupos:

1. Pare de pedir a pessoas para “curtir” suas postagens.

Alguns anos atrás, era comum ver posts que começavam com “Se você curte…” Infelizmente, ainda são comuns. Crie postagens com conteúdo interessante e pessoas vão gostar — e “curtir”.

Se você parar para pensar sobre, um “curtir” é uma ação vazia — a forma mais simples de engajamento. Pedir para as pessoas para “curtirem” seus status é fútil e não acrescenta nenhum valor para seus fãs e à sua timeline.

2. Não publique demais.

Bem simples, se você lotar seus feeds, as pessoas vão esconder os posts ou até mesmo vão “descurtir” sua página.
A mesma coisa vale para sua página pessoal. Obviamente, nós somos livres para postar quantas vezes quisermos nossas atividades diárias, mas devemos tomar cuidado com as consequências que podem surgir.

3. Mantenha as hashtags a um mínimo.

Nós não sabemos ao certo como as hashtags vão afetar o engajamento com a marca no Facebook, sendo que elas só foram implementadas a alguns meses. O mesmo conselho que demos aos usuários do Twitter se faz verdadeiro também no Facebook: Tenha certeza que as hashtags são relevantes e sem excessos.

4. Quando alguma tragédia acontecer, somente fique calado.

Nós já dedicamos um post inteiro sobre isto, mas não existe razão para as marcas postarem quando tragédias nacionais/globais acontecerem. Mandar “pensamentos e preces“ para as pessoas nas áreas afetadas parecem um tanto superficial — ganhar engajamento desta forma parece desespero. Uma forma melhor é oferecer à sua audiência uma forma de contribuir com doações ou algum tipo de ajuda.

5. Não seja condescendente.

A página Condescending Corporate Brand Page se tornou um dos meus destino favoritos no Facebook. Ela oferece tantos exemplos do que não fazer. Fica bem claro ao olharmos aos posts na página que estamos ficando sem novas ideias de como engajar com o público no Facebook.

6. Tem uma linha bem grande entre marketing em tempo real e “sequestro de identidade”

Para páginas de marcas, a ação da Oreo como marketing em tempo real durante a queda de luz no Super Bowl foi ótima–mas também um pouco destrutiva afinal. Ela inspirou a um monte de imitadores, e às suas tentativas de fazer o marketing em tempo real que nem sempre são relevantes; elas podem até ser um tanto quanto “spamicas” (vem do Spam). Não sabe exatamente do que estamos falando? Procure pela história de marketing em tempo real na cerimônia do Oscar.

7. Mantenha a positividade.

Esta vai para os perfis de marca e pessoais. Por mais que você queira ser retórico nas suas páginas, considere sobre sua audiência e se eles acham interessante ouvir você.
Pergunte a si mesmo: Estamos compartilhando este conteúdo por que é útil a nossa audiência?

8. Ninguém quer visitar suas abas que não são visualizadas em smartphones.

Ninguém.

9. Quando tiver um problema de RP na sua fanpage, a pior coisa é ficar calado.

Pois é, algumas vezes as marcas vão encerrar sua comunicação no Facebook quando estão enfrentando algum tipo de problema. Você só vai exarcerbar o problema ficando calado. Responda, mesmo se for somente com estas frases: “Nós estamos ouvindo e trabalhando para resolver o problema.”

10. Personalize sua mensagem para quem tirou um tempo para lhe contactar.

Não importa se foi uma mensagem inbox ou um comentário, a resposta nunca deve ser padrão. Raramente um “Obrigado” será suficiente. Todas as pessoas que comentam na sua página representa uma oportunidade para um contato pessoal. Faça esta conexão ser especial, e você terá um fã para a vida toda.

Artigo retirado e traduzido do site Entrepreneur.com
Link para o artigo original: http://www.entrepreneur.com/article/227453