A era dos hard drives grandes, pesados e com (relativamente) pouco espaço já se foi faz algum tempo. Os hardwares diminuíram seu tamanho, peso e aumentaram consideravelmente sua capacidade de armazenamento. Mas hoje, a tendência que parece inevitável, é o armazenamento na nuvem.

O armazenamento remoto de arquivos tornou-se possível com a melhoria das conexões da internet em todo mundo, muito mais prática, conquistou usuários ao redor do globo que não mais armazenam seus arquivos em seus computadores. Grande parte do conteúdo está na nuvem. Grandes empresas, hoje, “emprestam” seus servidores para seus consumidores guardarem fotos, documentos, músicas e todo tipo de arquivo, podendo acessá-los de qualquer dispositivo com suporte à tecnologia e com uma conexão com a internet.

A estratégia utilizada pelas empresas para atrair os consumidores ao hábito de guardar seus pertences digitais na nuvem é simples. Todos os serviços disponíveis hoje oferecem uma pequena “amostra grátis” de seus serviços, 2GB, 5GB, 7GB e até 50GB livres para o novo usuário armazenar seus arquivos gratuitamente. Isto cria a necessidade no usuário, que em breve vai precisar de mais espaço, e vai buscar os serviços pagos que liberam mais gigabytes, muito mais gigabytes para o uso.

No mercado, hoje, existem pelo menos 6 grandes empresas que oferecem este tipo de alternativa, entre elas, os gigantes, Google, Apple e Microsoft. O mais popular dos serviços de armazenamento na nuvem, ironicamente, ou não, é o Dropbox, que não pertence a nenhuma das gigantes da internet. O Dropbox é bem simples de usar, sua interface se assemelha muito ao gerenciamento de arquivos do Windows, podendo fazer transferências com um simples arrastar de arquivos, o que favorece a adesão do serviço. Ele também promove pequenas tarefas, que quando realizadas, liberam mais espaço para usuários.

Abaixo um lista com os preços e alguns pontos fortes das 6 opções que selecionamos para você testar e ver qual a melhor opção para o seu caso.