O mercado do café no mundo digital

O mercado do café no mundo digital

ESCUTE AQUI

O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo. E, segundo dados da Embrapa, o estado de Minas Gerais  possui 60% das lavouras dos cafés do país. Além de ser uma paixão nacional, esse produto também está ganhando outros mercados. Por isso, nós preparamos um podcast especial para falar sobre café no mundo digital.

A Julia Fortini, que é Diretora Comercial e de Marketing da Academia do Café, é a nossa convidada para esse bate papo. Além de ser responsável pela marca, Julia também cuida dos cursos da Academia do café. E, atualmente, é a Campeã Brasileira de Preparo de Café. Em junho de 2021, ela irá representar o nosso país no mundial que acontecerá em Atenas, na Grécia.

Cafés especiais: um mercado promissor

Em 1974,  a norueguesa Erna Knutsen falou, pela primeira vez, em Cafés Especiais. Ela estava provando milhares de cafés e experimento um café com características sensoriais completamente diferentes. Então, para diferenciá-lo, ela o chamou de café especial. Desde então, Erna Knutsen começou a utilizar o termo e essa área de pesquisa começou a se desenvolver.

Mas, para você entender um pouco mais, vamos esclarecer a diferença entre café comercial ou tradicional e o especial. A partir de uma avaliação, que considera fatores como acidez, corpo, sabor, doçura entre outros, é possível classificar um café. Essa é a metodologia de avaliação sensorial, utilizada em todo o mundo, estabelecida pela Specialty Coffee Association (SCA). Assim, de acordo com os parâmetros dessa avaliação, para ser considerado um Café Especial é preciso atingir, no mínimo, 80 pontos em uma escala de 100 pontos.

Esse é um mercado em franca expansão, que se reinventou e cresceu ainda mais durante a pandemia.

Café no mundo digital

Assim como em todos os setores do comércio, a pandemia afetou o funcionamento das cafeterias. Mas, apesar disso, novas possibilidades também foram criadas. E é sobre essa experiência que a Julia Fortini conversou com a gente.

A Academia do Café oferece diversos tipos de cursos. Entre eles estão: barista, análise sensorial, métodos de extração, classificação e degustação e torra. Antes da pandemia, esses cursos eram exclusivamente presenciais. Porém, com o novo cenário, professores e alunos se aventuram pelo mundo digital. Após as primeiras experiências com as lives, ele notaram um grande potencial no digital e decidiram investir. Mas, além de pensar novos formatos para o aprendizado, eles também tiveram que aprender a engajar com os alunos no digital.

E, além de novos alunos, também conquistaram novos clientes e consumidores de cafés especiais. Escute o #EP13 e confira mais sobre esse história.

 

 

 

Abir conversa
Precisa de ajuda?
Olá!
Como podemos te ajudar?